sábado, 11 de julho de 2015

Vírgulas

Vírgula: é um sinal de pontuação. Tem como função indicar uma pausa e separar membros constituintes de uma frase.


Aprendemos lá no início da escola, ainda no ensino fundamental, sobre os sinais de pontuação, tais como o ponto final, os dois pontos, o travessão, o sinal de exclamação e interrogação e, por fim - mas não menos importante -, a vírgula.

Seu uso é constante e até mesmo podemos usá-la despercebidamente, sobretudo na hora de falar. Como a definição nos mostra, um dos usos da vírgula é para indicar pausa. Na escrita, a vírgula é extremamente importante para que o leitor organize de forma lógica suas ideias.

Exemplo (de mau uso):

"Era era, tão bonita que eu não, poderia resistir."

Pode parecer que não, mas as vírgulas fazem uma grande diferença no texto, e não é apenas na escrita dele. Sua boa colocação também pode deixar o texto mais atrativo, e é muito comum que leitores deixem de ler um livro por causa da falta de vírgulas ou por causa do excesso da mesma - geralmente no caso do uso desnecessário dela.

O modo correto seria:

"Era era tão bonita que eu não poderia resistir."

Consegue notar a diferença? A própria leitura da frase não foi diferente?

Seu uso não é obrigatório e, em alguns casso, pode ser substituída por outros sinas, veja na frase abaixo:

"Não havia um único motivo para matá-la, ela era perfeita para os meus planos."

"Não havia um único motivo para matá-la - ela era perfeita para os meus planos."

Em ambas as frases houve uma quebra de narrativa para se explicar algo. A vírgula pode muito bem ser usada exatamente para fazer essa quebra, assim como outros sinais gráficos ou pontos.

Há o caso típico em que a vírgula é usada para separar ou isolar membro de uma frase, seja advérbios, adjetivos ou orações, como na frase:

"Fui à feira e comprei tomate, cenoura, batata, alface e banana."

Influenciando no modo de como algo é dito, a vírgula pode causar uma sensação diferente para quem lê, se colocado no lugar certo, de modo a transparecer o que se sente no momento, no caso de livros das narrativas.

"Não, não, não, não, não. O que pensa que está fazendo, hein?"

"Não não não não não... Isso não poderia estar acontecendo!"

Não sei se deu para notar a sublime diferença, mas as pausas da primeira frase passam um ar de revolta, enquanto, na segunda, a falta da vírgula dá um toque de desespero a cada "não". A falta dela também nos encaminha a ler as palavras rapidamente, contribuindo também para a mudança no tom da leitura.

É importante saber que a vírgula, apesar de não ser um ponto obrigatório em alguns casos, como o ponto final é em finais de frases, ainda assim é essencial. Seu uso pode fazer uma diferença enorme no sentido da frase como um todo.
Exemplo:

"Esqueci de dar, boa noite."

Essa é uma frase popular que se espalha pelo facebook com uma força impressionável, mostrando que uma simples despedida pode ganhar um sentido completamente diferente por causa de uma única coisa posta no lugar erra - no caso, a vírgula.

Outro bom exemplo é esse, que chega até a fazer os sentidos se contradizerem:

"Se o homem soubesse o valor que tem a mulher, andaria de quatro a sua procura."

"Se o homem soubesse o valor que tem, a mulher andaria de quatro a sua procura."

Completamente oposto, não? Dá para notar a diferença que uma vírgula faz? Também existem alguns momentos em que ela é obrigatória, como sempre antes do "mas" e antecedida do "pois". Exemplo:

"Queria ir com ele, mas não podia desmarcar meu outro compromisso."

"Não corra, pois você pode tropeçar e cair."

E é isso gente. Lembrem-se de que a vírgula é muito influenciada pelo contexto e, para aprender onde colocá-la, tentem ditar em voz alta o que está escrito, com calma, pois ficará mais fácil de localizar onde ela dever ser posta dentro da frase.
Espero ter ajudado.
Até o próximo post.
Beijos da Ana.