terça-feira, 14 de abril de 2015

Narração: na primeira ou terceira pessoa?

Eu ou você?




No post sobre modos de narrar, primeira ou terceira pessoa? Lembrando (antes de tudo) que não existem regras para escrever fanfics, existem padrões das línguas (língua portuguesa, inglesa, etc) e conceitos entre escritores mais experientes (como a estruturação, o desenvolvimento dos personagens e outros). Se escrever é expor o que pensamos e imaginamos, então que façamos do modo que achamos melhor, mas se esforçar um pouco em prol de quem lê não machuca nem arranca pedaço, certo?

Adentrando no assunto de hoje, que é (como já mencionei) os modos de narrar a história. Sempre que começo a escrever uma nova fanfis me pergunto: escrevo a minha história em primeira ou em terceira pessoa? Devo imaginar que não sou a única, sempre existe uma dúvida na hora de escrever.

Essa maldita pergunta que muitos de nós  nos fazemos ao iniciar uma história, podemos afirmar que não há um modo exato, quando usar uma pessoa ou a outra ou quando não usá-la. O correto a se levar em conta é qual das duas pessoas é melhor para a história. Tanto em primeira pessoa quanto em terceira pessoa a trama pode fluir normalmente mas existem suas diferenças.

O primeiro passo quando chegamos nesta etapa (ou seja, onde decidir em qual pessoa a história se desenrolará) é pensar: como eu quero que os fatos ocorra? O quanto do suspense pode ser revelado conforme o desenrolar da história? Como serão os personagens, como eles irão interagir? E, principalmente, como eu quero que seja a narração?

Vamos começar com um exemplo:

Eu corria desesperadamente, olhava para trás a todo o momento para tentar ver se ele estava muito perto. Podia ouvir o barulho dos seus passos rápidos logo atrás de mim e o som de sua respiração descompassado pela corrida, mas o que prevalecia era o som das batidas do meu coração disparado. Disparado pelo esforço da corrida, pelo medo, pelo receio de ser pega, pelo desespero..."

A narração em primeira pessoa sempre dará ênfase aos sentimentos do personagem, por que ele é quem conta os fatos, Há drama, ha sentimentalismo, há emoções. Uma adolescente apaixonada narrando sua história de amor a encheria de paizão, de rebeldia, principalmente de sentimentos negativos em relação a si mesma e à correspondência do seu amor, pois o texto sofre a influência dos sentimentos da personagem, devido a narração estar sob o seu ponto de vista.

Já na terceira pessoa narrando, seria algo mais "distante":

"Ela corria desesperadamente, olhava para trás a todo instante para tentar ver se ele estava muito perto. Ela podia ouvir o barulho doe seus passos rápidos atrás de si e o som da respiração descompassada pela corrida, mas o que prevalecia era o som das batidas de seu coração. Disparado de medo, de receio e de desespero."

O narrados não participa da história, ele vê e sabe tudo. Ele tem uma visão ampla dos fatos. Isso não acontece na narração em primeira pessoa.

Então como eu sei quando usar um ou quando usar o outro?

Vamos destacar que o que você escolher será o que você usará o tempo inteiro na história. Não fique trocando as pessoas do discurso só por que , usando o que você escolher não dá para colocar uma ceno ou outra. O desafio é encaixar as cenas no enredo dentro da narração escolhida. Ficar trocando a pessoa que narra apenas deixará os leitores confusos, fora que os mais experiente ou irão comentar que é incômodo ou deixarão de ler, e ninguém que perder leitores por causa de um detalhe tão pequeno, não é?


Agora vamos tentar demonstrar mais algumas diferenças entre uma narração e a outra em algumas situações:

Saber o que acontece em outros lugares: se narramos em primeira pessoa, não tem como nós sabermos o que o nosso namorado, por exemplo, está fazendo em sua casa quando estamos na nossa. Nossa personagem também não sabe. Não tem como saber o que acontecer no Norte estando no Sul, só se alguém contar à personagem ou ela descobrir quem de algum modo, mas devemos nos lembrar que: se a narração está na primeira pessoa, e é a personagem quem narra então o narrador não sabe tudo o que acontece.
Já na terceira pessoa, além de o narrador saber tudo o que acontece, ainda pode revelar o que acontece em outros lugares sem que seja necessário a presença da personagem principal.

Comentar o que acontece em outros lugares: em primeira pessoa, se a personagem está em sua casa, narrando o que está assistindo na televisão, como é que ele sabe o que acontece no colégio onde estuda naquele exato momento em que ela está em casa? Simples, a personagem não sabe. Saberá quando alguém lhe contar, claro, mas, a menos que ela tenha poderes psíquicos que o fazem saber tudo o que acontece no mundo enquanto está no Havaí, ela não sabe, e ficará sem saber.
Para que possa comentar sobre outros lugares, a solução é fazer com que ele descubra de algum modo, e como ele descobrirá é o desafio de escrever em primeira pessoa.

Saber o que o outro personagem pensa: assim como não somos capazes de saber o que as outras pessoas pensam, nossa personagem também não é capaz de saber (só se ela tiver poderes como os X-men, se não, é melhor desistir da ideia). Vamos nos lembrar de que o limite para a narração em primeira pessoa é narrar baseado na personagem, no que ela sente, pensa, sabe.
Fazer suposições é diferente de saber o que a pessoa pensa: "eu acho que ela está falando mal de mim", "conhecendo-a como a conheço, sei que está falando de mim", "ela definitivamente está falando de mim". O último exemplo passa a sensação de que a personagem não pode afirmar com toda a certeza que é dela que estão falando, e é essa certeza que a narração em terceira pessoa te, mas a narração em primeira pessoa, não.


Há outros exemplos, mas seria necessário muitas páginas para comentar sobre todos eles. O jeito mais fácil é se perguntar: é viável que essa condição, pensamento, narração, cena e ect. aconteça na narração em primeira pessoa sem a ajuda de poderes sobrenaturais ou psíquicos? Basta analisar de modo mais realista tornando sua personagem o mais humanizado possível, afinal, escrever sobre fantasia é legal, mas existem coisas que podem forçar a barra, principalmente se a sua história não for em um mundo de magias e essas coisas sobrenaturais, mágicas ou ninjas.
Espero que tenha ajudado vocês com suas dúvidas.
Até a próxima.
Beijos da Ana.